Jovem jornalista de Lima Duarte relata participação em encontro, na cidade de São Paulo

1005744_631803903516444_437733991_n

Publicado em 06/08/2013

4º Encontro Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicador@s

Evento que aconteceu em São Paulo, reuniu mais de 60 adolescentes e jovens do Brasil todo e definiu ações em busca da democratização da comunicação

Por Ingridy Almeida

A Viração Educomunicação e a Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadores (Renajoc) realizaram, durante a semana de oito de julho, o 4º Encontro Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicador@s em São Paulo. Eu, Ingridy Almeida, do Conselho Virajovem de Lima Duarte (MG), que é ligado à ONG Instituto Candeia de Cidadania participei tendo a oportunidade de conhecer adolescentes, jovens e adultos comunicadores de todo o país. O objetivo desse encontro foi a integração entre os membros da rede, proporcionar atividades de formação para os participantes e planejar as ações da Renajoc e da Viração para os próximos dois anos.

No decorrer da semana, tive a chance de conhecer toda a galera da Vira (como são carinhosamente chamados os integrantes da Viração) e do Renajoc, além da sede da revista e a Escola de Comunicação e Artes (ECA), da USP, onde aconteceu o Seminário Nacional Juventudes e Comunicação com a presença de Ismar de Oliveira Soares, professor da ECA; Gizele Martins, do jornal O Cidadão, do Rio de Janeiro; Amanda Rahra, da Énois; Rita Freire, do portal Ciranda.net e da Empresa Brasil de Comunicação; Daniela Majori, especialista em educomunicação; além de Dênis de Moraes, autor de inúmeros livros que tratam da democratização dos meios de comunicação.

Como parte do planejamento para os próximos anos a Renajoc realizará diversas ações dedicadas às pautas do direito humano à comunicação e à democratização dos meios, tais como, debates, intervenções locais, experiências de educomunicação e mídia colaborativa.

Tive a oportunidade de entrevistar, Paulo Lima que é jornalista educomunicador, fundador e diretor-executivo da ONG Viração Educomunicação. Ele contou sobre as metas atingidas, como quase 100% da participação de jovens e adolescentes no encontro. Em 2008, quando a Renajoc foi criada, a Rede entendia o adolescente como um sujeito político, e tinha o objetivo de que ele participasse desse processo da Rede, que trabalha pelo direito humano à comunicação, o que vem acontecendo. Paulo fala da importância da representação regional, onde faz parte da Rede mais de 21 estados e as cinco regiões do país. “Para o encontro, essa capilaridade é muito importante”, ressalta.

E foi na quinta-feira, 11 de julho, que a galera do encontro foi às ruas! Protestamos em frente à sede da Rede Globo, junto à cerca de sete mil pessoas (segundo os organizadores da manifestação), em busca da democratização da comunicação. Entendemos que a mídia não pode ser monopólio da Globo e de mais meia dúzia de empresas familiares que escolhem o que é ou não notícia e cultura em nosso país. Na manifestação, defendemos pontos como a imediata apuração das denúncias envolvendo a sonegação fiscal das Organizações Globo e que o governo brasileiro assuma a responsabilidade de rever, de forma transparente e com participação popular, todos os processos de renovação automáticas das licenças de rádio e televisão, principalmente das emissoras envolvidas com escândalos de sonegação fiscal, sobre isso, assista ao vídeo: https://www.facebook.com/photo.php?v=549443281783146.

Fazer parte desse encontro, poder conhecer comunicadores de todo o país e debater o fortalecimento das nossas atuações em meios como: RENAJOC, Viração, Agência Jovem de Notícias e em nossas comunidades é algo muito gratificante pra mim. Eu me apaixonei por todas essas pessoas que praticam a comunicação comunitária e popular. Além de apoiarem uns aos outros de uma forma tão amiga, existe com um companheirismo surreal. Foi tudo muito importante pra mim. E confesso que hoje me sinto mais forte, com mais vontade de lutar por melhorias não só pela minha cidade, mas em outros lugares também, pra que as pessoas conheçam essas ações tão importantes para nosso país.

Sobre o Virajovem Lima Duarte

Após o término da oficina de jornalismo “Jovens Jornalistas” promovida pelo Instituto Candeia de Cidadania, ministrada e coordenada por Emilia Mattos Merlini, de agosto a dezembro de 2010, na escola Adalgisa de Paula Duque, fomos convidados para criar o Virajovem Lima Duarte e, assim, escrever pra Revista Viração. A Revista completou 10 anos em março de 2013, é escrita por jovens de todo o Brasil e já ganhou inúmeros prêmios nacionais e internacionais.

Desde então, eu, Ingridy Almeida, junto à Débora Delgado, Mariana Pailley, Sandro Reis Silva, e depois, Jairo Jean, nos reunimos com a Emilia para escrevermos para a Revista. A Emilia e o Candeia realizaram oficinas de jornalismo em 2011 e 2012 na Escola Thiago Delgado e, em agosto de 2013, começaremos uma nova oficina de jornalismo, denominada Mais Educomunicação, na escola Joaquim Delgado, na Vila Cruzeiro.

comentários

Deixe um comentário

Enviar comentário »